Pages

17 de mai de 2013

Desconcertado Coração...


Entre caminhos recortados, entre corações partidos e um monte de vícios eu aprendi que nada deve se perder na formação de seu coração, cada dor e partida, cada medo ou angustia, te faz mais forte no final das contas, no saldo da balança da vida eu ainda estou no azul com certeza, e é assim que a gente deve manter. Feche os teus olhos e vem comigo dentro de uma busca que vai te fazer me conhecer e me fazer me conhecer pelos teus olhos, assim saberemos ao fim se podemos nos pertencer.

Fortaleza entre os ombros de um vencedor, caprichoso na frente dos olhos do meu perdedor e algoz da verdade de um pobre sonhador, somos todos humanos na frente de uma forca, assim vivemos a beira de uma crise de nervos, ansiosos pelo fim de tudo, temendo viver por que na solidão de possibilidades geralmente perdemos um monte de realidade, triste fim de uma rosa é morrer ao ser apartada de sua ligação com a terra, mas ela sabe que por 24 horas que ela viveu a tua companhia, bem... Ela foi feliz.

Palavras que por vezes não se conectam mas que descrevem a loucura de minha alma. que perturbada pela ansiedade de me descrever, o faz por vezes rapido demais como meu coração que se entrega e se nega a aceitar que você não é nem perto do que eu sonhei que você é. Minha fantasia será sempre superior ao que você é na verdade, não é culpa tua, eu apenas esqueci de olhar para você.

Bem terminamos então, Oh... Terminamos uma visão superficial da minha mente, deixo aberto as interpretações de terceiros, vivendo um monte de momentos, esquecendo um monte de sofrimentos, vivendo um monte de verdades e mentiras, mas adivinha, ao final de tudo só sobra eu mesmo, no funil do tempo, como medo e anseios, do mesmo jeito que iniciamos nossa conversa, mas sabe. tem sempre algo mais, algo que eu esconderei ate o meu ultimo dia, pra te mostrar quando nos adormecermos.