Pages

27 de mai de 2011

Muzak - Zeca Baleiro


Estou aqui em Arari, Nova York,
estou aqui, vou do Chuí ao Oiapoque
Tenho nas mãos um coração maior que o mundo
E o mundo é meu, o mundo é teu de todo mundo

Estou aqui em Arari, Nova York, estou aqui,
vou do Chuí ao Oiapoque
Tenho nas mãos um coração maior que o mundo
E o mundo é meu, o mundo é teu de todo mundo

Na ante-sala do dentista ouço meu Muzak
Me entorpeço, esqueço meu coração, frágil badulaque

Estou aqui em Arari, Nova York,
estou aqui, no Cariri, em Bangkok
Tenho nas mãos um coração maior que tudo
Nem tudo é meu, e quem sou eu além de tudo

Na ante-sala do dentista ouço meu Muzak
Minh'alma dorme num velho porão, rima de almanaque

Estou aqui em Arari, Nova York,
estou aqui, no Cariri, em Bangkok
Tenho nas mãos um coração maior que tudo
Nem tudo é meu, e quem sou eu além de tudo

Tudo que se vê, pra que crer
Tudo que se crê, pra que ter
Tudo que se tem, pra quem

Tudo que se vê, pra que crer
Tudo que se crê, pra que ter
Tudo que se tem, pra quem

Tudo que se vê, pra que crer
Tudo que se crê, pra que ter
Tudo que se tem, pra quem

No fim, me perder...

Eu andei perdido, esgotado pelas veredas de um destino que era fadado ao caos inevitável, observando ao meu redor apenas sombras de um mundo que parecia não me pertencer, de pulsos abertos, coração acelerado e mergulhado em um sangue tão denso quanto o que corre nas veias de nosso planeta, eu apenas queria evaporar para as entranhas do tempo e esquecer de mim no universo de outro alguem muito diferente de tudo o que ja vivi.
Sou eu quem grita e bate a tua porta altas horas da noite, desejando apenas teus lábio para um ultimo beijo, e você nunca está lá para me abrir esta porta, o que mais posso desejar que partir em teus braços, e seguir por um sonho eterno em que fiz escolhas diferentes e que tenho muito mais sorrisos que lágrimas, apenas meu desejo incontrolável de mais uma vez te ver, me cega a quase certeza do fim do meu ser efêmero, chegou a hora do fim.
Tão barulhento quantos as ondas que quebram na praia mais isolada no lugar mais remoto que eu pude encontrar em meus pensamento, esta meu coração que pulsa a loucura de continuar a bater, mesmo sabendo que é o caos a instantes do parar de bater, e eu apenas consigo imaginar teu gosto que habita minha mente, lembranças doces de um momento para um dizer adeus.
Sou eu que no ultimo fôlego bate a tua porta, sou eu quem fez de tudo pelo certo, mas amava estar do lado errado da vida, que vivia como se o mundo estivesse acabando, ate descobrir seu proprio e inevitável fim, e embebido em loucura percebia que não há preparação que o acalme, ou mesmo equilibrio que o mantenha de pé para o temido final, o seu proprio FIM, então com os meus ultimos lanpejos de sanidade deixo teus tais palavras para que saibas que apesar de tão errado era em ti a minha principal certeza, termino este devaneio com o que mais te disse em minha existência, um singelo porem verdadeiro EU TE AMO...
Na hora do fim, é em ti que quero me perder... Minha Beatriz S2

19 de mai de 2011

Clube da Esquina II - Flávio Venturini


Porque se chamava moço
Também se chamava estrada
Viagem de ventania
Nem lembra se olhou pra trás
Ao primeiro passo, aço, aço....

Porque se chamava homem
Também se chamavam sonhos
E sonhos não envelhecem
Em meio a tantos gases
lacrimogênios
Ficam calmos, calmos, calmos

E lá se vai mais um dia

E basta contar compasso
e basta contar consigo
Que a chama não tem pavio
De tudo se faz canção
E o coração
Na curva de um rio, rio...

E lá se vai mais um dia

E o Rio de asfalto e gente
Entorna pelas ladeiras
Entope o meio fio
Esquina mais de um milhão
Quero ver então a gente,
gente, gente...

5 de mai de 2011

Dream On - Aerosmith


Dream On

Every time that I look in the mirror
All these lines in my face gettin' clearer
The past is gone
It went by like dusk to dawn
Isn't that the way?
Everybody's got their dues in life to pay
I know, nobody knows
Where it comes and where it goes
I know it's everybody's sin
You got to lose to know how to win
Half my life's in books' written pages
Lived and learned from fools and from sages
You know it's true
All the things you do
Come back to you
(2x)
Sing with me
Sing for the year
Sing for the laughter n' sing for the tear
Sing with me
If it's just for today
Maybe tomorrow the good lord will take you away
(3x)
Dream on
Dream until your dream comes true
(3x)
Dream on
And dream until your dream comes true
(7x)
Dream on
(2x)
Sing with me
Sing for the year
Sing for the laughter n' sing for the tear
Sing with me
If it's just for today
Maybe tomorrow the good lord will take you away

Sonhe

Toda vez que me olho espelho
Todas estas rugas no meu rosto aparecendo.
O passado se foi,
Passou como o crepúsculo à aurora.
Não é assim?
Todo mundo tem que pagar suas dívidas na vida.

Eu sei que ninguém sabe
De onde vem e para onde vai.
Eu sei que é o pecado de todo mundo
É preciso perder para saber vencer.

Metade da minha vida está escrita em páginas de livros.
Vivi e aprendi dos tolos e dos sábios.
Você sabe que é verdade,
Todas as coisas que você faz
Voltam para você.

(2x)
Cante comigo
Cante pelos anos
Cante pelo riso e cante pelas lágrimas,
Cante comigo
Se for apenas por hoje,
Talvez amanhã o bom senhor a levará.

(3x)
Sonhe

Sonhe até que seu sonho se realize.

(3x)
Sonhe

E sonhe até que seu sonho se realize.

(7x)
Sonhe

(2x)
Cante comigo
Cante pelos anos
Cante pelo riso e cante pelas lágrimas,
Cante comigo
Se for apenas por hoje
Talvez amanhã o bom senhor a levará.

A beira do abismo...

Antes quero apenas deixar minha lagrimas jogadas por ai, mesmo antes de começar a expressar o que guardo no mais profundo de minha alma, apenas gostaria de insultar a memória que tenho do amor mais puro que tive, por que forte eu sou o suficiente para entender que morto agora estou sem o mais brilhante raio que cruzou o meu caminho, um maldito cavaleiro em uma jornada sem sentido ao mais profundo inferno.
Posso deixar ainda meu sangue envolvido no aço que cortou a carne de tantos dos meus inimigos, mas que covardemente apenas rejeita fazer o que eu devo, por que ser tão forte com os outros, e me curvar a alguem que de tanta fragilidade dobrou um dos maiores matadores nobre que ja existiu, deveria se orgulhar de tal feito, do contrario apenas zombas de mim, eu um maldito cavaleiro condenado, sendento novamente pelos sangue dos justos.
Das trevas eu posso ainda ver a sentelha de luz que era seus olhos, um dia eu fui feliz, hoje percorro o mundo atras de dor, para aplacar a minha propria alma que anseia por mais trevas, destituido de toda humanidade eu permaneço neste espiral de matança que se tornou minha vida, já fui feliz, mas do que isso me diferencia de você que agora lê meus mal feitos escritos.
Apenas desisto e me jogo no mais profundo abismo, enquanto sinto a escuridão preencher todos os espaços que você deixou para mim, enquanto cravava seu punhal em meu coração que desde então não pude mais sentir, sou por vezes recordado de tal sensação, apenas o cólera me toma agora, um maldito cavaleiro templário, de volta a boa luta, procurando almas para julgar...
Cavaleiro Templário...