Pages

10 de jan de 2014

Entre o Mundo e as Paixões, um tratado a vida...


Somos todos movidos por paixões, são elas que decidem de que forma vamos agir a cada novo obstaculo ou caminho, tentamos suprimi-las quando crescemos por que a sociedade nos impõe o conceito de que um sonho é algo que se tem quando dorme, que ao acordar devemos esquecer e voltar a vida mecânica de sempre. Assim somos embuidos a sermos sempre enquadrados e achamos ruim quando somos taxados de preconceituosos, mas a verdade é que somos envenenados a desacreditar que podemos conseguir e a nos desapaixonar desde o fim da infância.

A infância morre com os sonhos que construímos nela, quantos e quantos médicos gostariam de ser artistas, quantos engenheiro gostaria de estar cursando filosofia, mas sabe, isso não é coisa de gente normal, o normal é trabalhar em um emprego horrível para ganhar dinheiro, depois casar com alguém com o mesmo pensamento que você, tendo uma vida frustrada, ter filhos frustados por que os pais lhe colocam responsabilidades demais para a idade, se aposentar e morrer, e ganhar muito dinheiro no processo para mascarar uma realidade de felicidade que nada mais é que fachada pra verdadeira tristeza  que sente o ser humano.
Sei que pareço desiludido por causa de minhas palavras anteriores, mas sabe a desilusão faz parte do processo de acordar, somos levados a acreditar em um mundo de números, mas a verdade é que o mundo não é feito de contas e resultado, o mundo é feito de cores, aromas, sabores e números, assim parados de analisar e começamos a viver de fato, tantos coisas ha fazer, tanto a experimentar, sabe aquela comida feita pelo primeira vez para uma menina que quer conquistar, aquele primeiro passeio a pé, mesmo que ate o carro apenas, o primeiro toque em sua mão, meio que distraído mas altamente mal intencionado essas são coisas que nunca se pode perder.
A inocência morre com a criança, será? ainda sentimos borboletas no estomago quando entramos em um elevador panorâmico, ainda ficamos nervosos quando vamos conhecer a família de quem amamos, ainda suamos frio quando vamos pedir aumento, sabendo que isso é pra poder dar a alguém algo especial, felizes quando entramos de ferias e não temos tanta responsabilidade, quando finalmente aprendemos a mexer em um computador o que parecia ser de outro mundo, ou quando ouvimos sem querer depois daquele dia estressante a nossa musica no radio, poxa, você realmente perdeu a capacidade de se apaixonar? ou ela esta ai congelada dentro de você, como a criança  que acreditava que um dia quando crescesse poderia voar? Voe, Voe alto e antes que todos os números te digam o que você pode ou não pode fazer, seja, viva, perca, ganhe e passe a diante suas paixões...