Pages

16 de abr de 2012

Acordar...

As pernas me falta as vezes, caminhar tem ficado mais e mais complicado, o peso do mundo em minhas costas e um coração que já não me cabe mais, era outrora prisioneiro dos meus próprios pensamentos, mas agora as asas da minha imaginação erguidas a beira do abismo, mas esta queda agora não é o fim, e sim o começo de um novo destino, cansado de andar meu coração decidiu começar a voar...
cada busca ate agora eu abri mão de parte da minha alma, estava disposto a perde-la se a recompensa fosse você, mas antes que eu pudesse me entregar você me surgiu, forte como uma grande arvore e segura como o coração do criador, era a hora certa, quando já não sabia mais com quem contar, desesperado caminhava na chuva dos meus próprios pesadelos, mas a tua mão me agarrou e me disse que tudo daria certo...
Um cavaleiro sem espada, armadura ou alma que caminhava se arrastando, dando cabeçada na vida e vivendo para a dor do combate, na esperança da ultima das batalhas, eu desistia de muito mais do que a vida, desistia da dor que era meu elo de ligação com a realidade, para manter meus pensamentos no sonho que era poder ser livre, como se a tudo dependesse apenas de um despertar, eis que em fim chegou minha hora.
Acordado vejo o mundo com olhos de criança, estou livre das trevas, da dor e da angustia que consumia minha alma em busca de sangue, mas sera que é duradouro, isso só o tempo pode me dizer, mas enquanto espero a resposta, sigo voando por que ja caminhei demais por este mundo, prefiro agora apenas voar livremente como a brisa de uma leve pena que sacode a tua respiração, esperas por mim eu estou chegando, não te conheço pessoalmente, mas sigo esse tal de AMOR.

0 comentários:

Postar um comentário