Pages

27 de mai de 2011

No fim, me perder...

Eu andei perdido, esgotado pelas veredas de um destino que era fadado ao caos inevitável, observando ao meu redor apenas sombras de um mundo que parecia não me pertencer, de pulsos abertos, coração acelerado e mergulhado em um sangue tão denso quanto o que corre nas veias de nosso planeta, eu apenas queria evaporar para as entranhas do tempo e esquecer de mim no universo de outro alguem muito diferente de tudo o que ja vivi.
Sou eu quem grita e bate a tua porta altas horas da noite, desejando apenas teus lábio para um ultimo beijo, e você nunca está lá para me abrir esta porta, o que mais posso desejar que partir em teus braços, e seguir por um sonho eterno em que fiz escolhas diferentes e que tenho muito mais sorrisos que lágrimas, apenas meu desejo incontrolável de mais uma vez te ver, me cega a quase certeza do fim do meu ser efêmero, chegou a hora do fim.
Tão barulhento quantos as ondas que quebram na praia mais isolada no lugar mais remoto que eu pude encontrar em meus pensamento, esta meu coração que pulsa a loucura de continuar a bater, mesmo sabendo que é o caos a instantes do parar de bater, e eu apenas consigo imaginar teu gosto que habita minha mente, lembranças doces de um momento para um dizer adeus.
Sou eu que no ultimo fôlego bate a tua porta, sou eu quem fez de tudo pelo certo, mas amava estar do lado errado da vida, que vivia como se o mundo estivesse acabando, ate descobrir seu proprio e inevitável fim, e embebido em loucura percebia que não há preparação que o acalme, ou mesmo equilibrio que o mantenha de pé para o temido final, o seu proprio FIM, então com os meus ultimos lanpejos de sanidade deixo teus tais palavras para que saibas que apesar de tão errado era em ti a minha principal certeza, termino este devaneio com o que mais te disse em minha existência, um singelo porem verdadeiro EU TE AMO...
Na hora do fim, é em ti que quero me perder... Minha Beatriz S2

0 comentários:

Postar um comentário