Pages

12 de jun de 2010

Eu tenho de partir.


Impulsos progressivos, amores perdidos e paramêtros imaginarios, são coisas dificeis de se superar, quando em minha alma eu já havia pensado superar, bem aqui estou por vezes perdido em trevas de minha solidão equivalente que insiste em me manter acordado. Não consigo dormir desde que se foi de minha vida, tenho medo de desaparecer por que era tua presença que me mantinha vivo, e o adormecer sinto perder o controle de tudo o que penso parecer real.
Imagino ser essa a sensação de morte, o cair e e cair até quanto não se pode mais cair. Em um abismo profundo de medo, sinto tua ausência como um punhal cravado em minha alma agora mortal, so queria poder estar ao teu lado e ser aquilo que precisa para ser feliz, mas me olho no espelho e de coração partido sinto que não há muito a fazer alem de continuar levantando todos os dias, um dia por vez.
Decidi ir embora, pra longe por que tua ausencia aperta meu peito e desejo gritar ate não ter mais forças para lutar, por que eu so queria ser aquilo que te fazia feliz, e se assim não pode ser, linda eu prefiro ir embora assim em breve me despedirei dessa cidade que foi testemunha de todo amor que tenho por ti, e que carregarei comigo para onde quer que eu vá, ainda sim partir pode me dar forças para prosseguir vivo por um tempo que seja.
Sinto tua falta do acordar ao adormecer, e mesmo dormindo em sonhos eu vou te visitar, por que minha alma ancia a tua como um o primeiro amanhecer de um ex-detento, que sente além do vento toda a liberdade que a vida pode guardar, quando estava com você eu apenas era o homem mais feliz do mundo, bom agora eu sou só mais um homem, e assim decido ir para longe de todar dor que a tua ausência me traz, um dia posso cruzar com você e assim seremos estranhos, e quem sabe comecemos de novo e da próxima vez seremos felizes, eu juro...
Mas eu tenho de partir em breve...

0 comentários:

Postar um comentário