Pages

27 de nov de 2009

NEM A MORTE...

Do inferno onde as almas perdidas vagam meu clamor sombrio ecoa reverberando as paredes do mais profundo abismo esquecido das trevas de um ser humano, poderia apenas me jogar do mais alto que encontrasse mas nem mesmo a morte aplacaria a ira de viver um segundo sem você.
.
Assim passo meus dias acorrentado no vale das sombras e tormentas do minha mente vã que sempre me tortura a tua procura, se sou chato a tua falta ,de fato ,porderia melhorar e a vida me recompensaria com o teu olhar, mas nunca seria demais poder te falar se apenas me meus sonhos pudesse te encontrar.
A
calmo meu espirito na espreita de uma velha dor que me acompanha faz tempo de um amor que de perdido se perdeu pelas veredas do tempo e dai nunca mais pode regressar, assim venci a morte que mesmo depois meu amor não pode levar.

0 comentários:

Postar um comentário