Pages

26 de jan de 2010

Sob as águas...

Há um rio que corre em minhas veias, um caminho por entre as minhas mãos e uma ponte que sai do meu coração. Partes que me tornam frágil e humano, que se partem e se deixam mostrar a poucos, pois o rio sempre corre para o mesmo lado, o caminho fica cada vez mais distante e a ponte se quebra a cada amor perdido...
Ganho um mundo de sentimento por ti a cada dia que fico daqui, a distancia ainda estou a esperar por um sinal de que fiz a coisa certa, mas sei lá ainda sinto que estou ligado a você mesmo nunca mais tendo nossos olhos se cruzado, sou um cavaleiro mas me sinto derrotado boa batalha como dizia meus companheiros templarios...
Ainda sim posso entender, sei que o mundo é como é e da vida nada se leva, mas cruzo a ponte e levo comigo a lembrança dos teus olhos que um dia foram o mais perto do cêu e que com certeza chegarei, se sou digno o Pai abranda meu sofrimento e me mostra outro caminho...
Deixo ti minha amada, por sob as aguas que mostram a transcedentalidade de nossa existencia e me mostra que o tempo nunca volta e nem muda, o nosso tempo fica para tras...
Meu amor por ti nunca...

1 comentários:

Cortez disse...

Esse é um comentario para aqueles que estao triste... a humanidade é uma droga, seja imortal...

Postar um comentário