Pages

23 de jul de 2010

No fim, eu me perdi...

A minha imaturidade do meu ser me impedia de perceber que amar é um grande jogo de interesses, e me tornar um ser interessante a você era o maior desafio, crescer como ser humano, ser digno de teu carinho e mais que tudo valoroso por receber em meus labios os seus, esse era o objetivo desde o inicio, mas algo aconteceu e eu me perdi.
Mais que um momento feliz ou uma sensação de dever cumprido eu estava lá abraçado a esperança de te ter de novo, ai vem a vida e te dá uma porrada para que você aprenda que por mais que lute conta seu destino só algo certo na vida - a morte, continuar vivendo é o que separa os fracos dos que merecem seu amor, e eu me perdi.
Deixo um amargo sabor de ter quase consegui, mas em fim isso nada mais posso fazer por nossos destinos que você decidiu, nem quero mais pensar nisso, um cavaleiro nunca se lamenta e nem sofre por amor, apenas lagrimas de redenção que se podem rolar por um rosto sujo com o sangue de meus inimigos, e eu me perdi.
Ainda sim, agora sozinho no mundo deixo isso de lado para que possa continuar sem olhar para atras por que te ver me faz querer ficar e eu ainda tenho muitas batalhas para travar e se sucumbir em uma delas, bom isso pode acontecer eu saberei que na verdade eu me perdi...
No fim, eu me perdi...

0 comentários:

Postar um comentário