Pages

28 de mai de 2010

Em tuas mãos, meu coração...

Há vida me passa por entre os olhos e eu já não consigo mais alcançar, de fato estou perdido dentro de meus próprios pensamentos, como um cavaleiro condenado a vagar pelo limbo por estar incompleto, por que deixei meu coração para traz quando você partiu o levou para longe de mim e ao cair morto não podia mais descansar ate novamente completo estar...
Deixo lacunas do meu passado a chance de poder ter mais uma chance, mas a verdade é que mesmo condenado a ficar sozinho por toda a eternidade algo me conforta, a chance de te acompanhar a distância, pois sei que serás feliz e eu atraves de ti, por que te amo e tua felicidade es minha felicidade, ainda sim sinto que poderia ter um futuro diferente, ou mereciamos algo diferente a indiferença que sentes por mim agora...
Eu, Cavaleiro Templário, de tantas morte em batalha e tanto sangue derramado, fui derrotado por um coração apaixonado e sinto que minha existência de dor e sofrimento foi causada por teus olhos quando não havia mais nada a se fazer, me olhaste e todas a minha armadura caiu a tua frente, eu que era forte mais que todos, agora sou apenas um homem derrotado pela vida e por amores perdidos...
Acalmo minha mente tentando perceber que há outros como eu que também perderam em combate e estão por ai vivos, mas a verdade é que isso não aplaca minha tristeza ou diminui a minha vontade de gritar aos quatro cantos do mundo minha dor latente. Por fim desejo uma morte rápida na lamina de meu inimigo, seria mais piedoso que passa a eternidade condenado a procurar meu coração, que foi atirado por ti em um abismo de sangue e dor...
Em tuas mãos leva meu coração...

0 comentários:

Postar um comentário