Pages

26 de mar de 2010

Meu julgamento...


A força que faço só pode ser comparada a necessidade de estar com você, de longe te acompanho e te protejo afinal é o papel de um verdadeiro cavaleiro, deixei muitos pedaços pelo chão a tentativa de mudar enquanto a dama da morte de persegue, quando havia me perdido encontrei o caminho me esquivando de dores que forjaram minha armadura no intenso calor de minha alma...
Devo entender o peso de meus pecados na tentativa de me redimir de toda a culpa que carrego por anos de solidão e massacre em nome de um idela que nunca entrou em minha alma, sou um maldito açoite da humanidade incubido de julgar a todos e executar a justiça divina por minha espada, mas estou cansado de lutar e de preseguidor a perseguido devo sobreviver a provações para expurgar meus pecados nesse novo mundo...
Sinto que outrora era uma máquina hoje um humano que sangra e sofre, e deve ser o mais humilde de todos para entender o que pode e o que deve ser feito agora de minha alma, para me livrar de uma condenação eterna, vivendo um amor que será minha balança e pesado e medido eu devo passar por tal julgamento mortal...
Sinto-te perto de mim nesse momento de dor humana, estou vivo e devo sofrer eu sei, mas caminho pela terra agora como se fosse a primeira vez, em uma vida que sei que será definitiva para minha reencarnação, vida minha eu preciso de ti para ser salvo, disseste a mim que seguraria a minha mão entao o faça e estaremos juntos por toda a minha redenção...
Cavaleiro Templário...

1 comentários:

Kisame disse...

- Hum... muito interessante.

Postar um comentário